Relato de uma tetante Parte VI – Final

Nos últimos meses eu havia engordado alguns quilos, e queria estar com
saúde em dia para uma nova tentativa de Fertilização. Fui então cuidar do corpo
e da mente. Passei a fazer Ioga e Pilates.
Uma amiga havia me dito que o  Pilates favorece o corpo para o parto.
Sim, eu já pensava no parto, confiança era meu sobrenome.
Tudo estava em perfeita harmonia, já nos preparavamos para uma nova
tentativa, quando recebi a notícia da morte de papai. Nossa relação não era das
melhores, mas sempre que possível eu ia a São Paulo para visita-los e mamãe
todo ano passava algumas semanas comigo em São Carlos. Não importava se  não eramos tão próximos quanto eu gostaria,
ele era meu pai e isso me afetou diretamente.
Ali diante de seu túmulo, um filme passou em minha cabeça.  Lembrei-me de sua aflição e decepção quando
deixei a loucura falar mais alto. Lembrei-me de sua voz enérgica, me deixando
claro que ele não era bobo e que eu nunca mais o enganaria. Lembrei também de
sua doçura e de suas lágrimas ao entrar comigo na igreja. Lembrei –me de seu
abraço consolador após a perda de meus filhos, o que me fez imaginar-me bebê,
protegida em seu colo e embalada por seu amor. Chorei a dor da perda de meu pai
e chorei por meu filho que nasceria um dia sem conhecer o homem maravilhoso que
ele havia sido.
Passado o baque do momento, criei forças e partimos para uma nova
tentativa

que infelizmente não deu certo. Mas eu não desistiria, eu tinha
certeza que era possível e tentaria quantas vezes fosse necessário. Dois meses
depois uma nova tentativa e em junho de 2012 realizei um beta que me revelou
uma nova gestação.

Com 12 semanas de gestação, passei por um procedimento chamado
cerclagem, onde meu colo uterino foi costurado para que com o peso da gestação
, não abrisse e não acontecesse um novo aborto. Algumas semanas de repouso e
vida normal.
Com 20 semanas no ultrassom morfológico, uma surpresa, era uma menina
perfeita e saudável.
Confesso que esperei um pouco mais do que deveria para fazer o enxoval
da minha flor, pois tive medo de passar por tudo novamente. Não foi falta de
fé, foi um receio natural de quem ainda estava sob evolução aos olhos de Deus.
Com 32 semanas entrei em trabalho de parto e fui internada para tentar
adiar esse momento ao máximo. Foram dadas injeções para maturidade do pulmão da
minha Iris. Os esforços não foram em vão e minha filha só nasceu no dia 10
fevereiro de 2013 com 38 semanas completas de gestação.
Quanta felicidade, eu tinha meu sonho nos braços, Deus havia me dado uma
segunda chance, havia enxergado o arrependimento sincero em meu coração e havia
me perdoado.
A emoção de ouvi-la chorar forte, de sentir sua respiração, de vê-la
cessar o choro ao sentir meu cheiro, não existem palavras capazes de expressar
o que foi aquele momento.
Ficamos eu e ela algumas horas na sala de recuperação e eu não me
cansava de olha-la. Deus é maravilhoso, me presentou com sua joia mais
perfeita.
Ali, aguardando para subir para o quarto onde receberia meu marido,
minha mãe, minha sogra , meus irmãos, fiz uma retrospectiva de toda a minha
vida. Chorei de arrependimento, chorei de saudade, chorei de felicidade.
Ao acessar o facebook para dar a notícia a amiga mais perfeita que Deus
já colocou em minha vida, uma nova surpresa, aquele dia não era só o dia do
nascimento de minha filha , era o aniversário do anjo que Deus enviou para me
mostrar um novo mundo de possibilidades. Poderia ter sido mais perfeito?

Minha Iris hoje tem 4 meses. Não tem minha boca, mas herdou meus olhos
não só na cor mais em seu contorno. É linda , calma e esperta, perfeita demais
para uma mulher tão cheia de falhas como eu.

Um mês após o meu parto, demos entrada na documentação que nos coloca na
fila nacional de adoção. Espero sim ter mais um ou dois filhos biológicos, mas
quero a oportunidade de ser mãe de uma criança que um dia , alguém rejeitou,
exatamente como eu , aos meus 16 anos , no auge de minha imaturidade fiz. O
abandono não é exatamente igual a um aborto, mas nasce da rejeição da mesma
forma.
Espero que meu relato traga esperança para muitas, fé para outras e
perseverança para todas.
Deus não pune seus filhos, mas é importante que Ele nos ensine o quanto
nossos atos afetam não só as nossas vidas, mas a vida das pessoas que nos
cercam. 
Paguei meus pecados, achei que jamais Deus me daria o direito de ser
mãe novamente, mas Ele com todo seu amor e sabedoria, me mostrou que tudo é uma
questão de tempo. 
Sinto que evoluí demais como ser humano, e valorizo a minha
maternidade de uma forma tão pura e digna, que sei, não seria possível em
nenhum outro momento se não esse.
Aproveito para deixar o meu muito obrigada a minha irmã de caminhada. A
você Tati, toda a felicidade do mundo. Teu trabalho é maravilhoso e tenho

Iris, nome de flor

certeza que sem você, hoje, eu ainda estaria buscando meu caminho. Deus usa
anjos para agir em nossas vidas , e nem sempre eles tem asas. Ainda te aguardo
aqui em casa (exijo que publique essa parte dona Tatiana, estou te cobrando
publicamente)
.

Quero terminar esse relato com uma frase que li em algum lugar certa vez
e que para mim fez todo o sentido


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

“Nunca pense que já apanhou demais da vida, simplesmente levante, e se prepare para o próximo tombo.

Pois a vida te trará surpresar até o momento do teu último suspiro.”

Ass: C.M mamãe feliz da pequena Iris.


Essa poderia ser uma história fictícia, apenas para trazer esperança e motivação. Mas assim como nossa amiga C.M, muitas mulheres passam a vida  em busca da maternidade. Essa busca nem sempre é fácil, nem sempre é rápida e nem sempre traz só felicidade, Mas sempre nos traz evolução e sabedoria.
A dor, seja ela qual for, é sempre passageira, deixa marcas com toda certeza, mas Deus tem o bálsamo exato para cada uma de nós, mulheres de alma maternal. 
Se a sua caminhada, nesse momento está difícil, está pesada, confie na sabedoria de Deus e não desista. Se houver uma janela a ser aberta, ele abrirá no momento exato. Mãe é aquela que ama e cuida, pode ser mãe da barriga ou do coração, mas perante os olhos de Deus, tem o mesmo valor e a mesma humildade.


Pé no chão e esperança no coração !
Espero a seu relato para a construção de mais uma linda história de vida ! 


Tatiana da Costa 

21 comments on “Relato de uma tetante Parte VI – Final

  1. tatty cerejynha

    não poderia ser melhor o desfecho dessa saga sofrida…
    não a nd mais gostoso que conquistar algo depois de tantos obstáculos e dores.

    Parabéns pela vitória.

    Reply
  2. MMaria

    Chorei!!!

    Que história mais linda e encorajadora!
    Estou nesse momento de busca pela maternidade e há pouco comentei com meu marido do medo de não conseguir… Ler isso hoje foi mais que providencial! Foi Divino!

    Obrigada C.M. e Tatiana por compartilhar amor dessa forma!
    Bjossss

    Reply
  3. Beatriz

    Que história linda!!! Poderia ser realmente uma história só de dor, mas a fé em Deus permitiu que o desfecho fosse realmente feliz!
    Assim como muitas, também me encontro neste momento de busca pela maior benção da vida e, ler histórias como esta é simplesmente como receber uma nova carga de fé e coragem para continuar na luta e, melhor com a certeza de que no final tudo dará certo!
    Que Deus abençoe esta família e, que venham sim mais filhos, sejam biológicos ou de alma, não importa!
    Parabéns Tatiana e muito obrigada C.M. por partilhar conosco sua história de vida!
    Que Deus às abençoe!
    Beijos!

    Reply
  4. Unknown

    Amei a historia, imagino o quanto vc sofreu, C.M., e obrigada por compartilhar sua historia de vida, com certeza será uma pilula de ânimo pra todas nós. Tati, parabéns pela iniciativa e obrigada por nos ouvir, aturar nossas ansiedades(rsrs), nossas tristezas e alegrias. Que Deus as abençoe!!! E como a Tati sempre diz… "Pé no chão e esperança no coração…" SEMPRE!!!

    Fabiane Pereira

    Reply
  5. Celia lustosa Lustosa

    Extremamente emocionada.Deus sempre nos dá uma oportunidade de melhorar…Encontro-me, hoje,mega ansiosa também para ter nosso bebê, mas sei que o Senhor um dia irá nos presentear.Saúde e amor a vcs.Bjos

    Reply
  6. Iasmim Santos

    Olá minha ultima menstruação foi no dia 20 de abril de 2013, Parei de tomas AC. desde de fevereiro. A partir daí comecei a ter relações sem proteção e usar a Pílula do dia seguinte 1 ou 2 vezes por semana , mantive esse atitude até o dia 16 de julho de 2013.Desde então nunca mais menstruei. Gostaria de saber se isso interfere na minha fertilidade, pois estou querendo engravidar.
    Tenho 21 anos e meu marido 47, Fiz a ultrassom recentemente e deu tudo normal e também fiz 2 testes de farmácia e de negativo.

    Agradeço desde já! email:[email protected]

    Reply
  7. Rarissa Vieira

    Nossa, muito linda essa história… Também sou uma tentante, tenho 18 anos e meu marido 29, estamos juntos a quase 3 anos. Em Janeiro deste ano fui ao meu ginecologista para interromper o anticoncepcional que eu tomava e fazer uns exames, foi quando descobrir que tenho síndrome de ovários policístico, eu chorei bastante porque eu sei que se eu conseguir engravidar vai ser muito difícil..Mas estou fazendo tratamento e tenho muita fé em Deus que eu vou conseguir, esse blog me ajudou bastante, Parabéns Tati……

    Reply
  8. Joice chan ilario

    realmente Deus nos manda anjos em formas de pessoas, e essa história é o que me fez ganhar muito mais esperança, tenho certeza que meu milagre está por vir, e não vou desistir de ter meu anjo , hoje eu valorizo todas as mães que eu vejo e principalmente a minha (meu pai também), eles são tudo na minha vida, pois sei que um dia fui desejada e hoje eu que desejo um filho ! eu ate queria contar minha historia mais muitos irão me julgar , tenho apoio somente da minha família e meu marido ! sou casada por vontade própria e tenho 16 anos e meu marido 25, por incrível que pareça não tenho mentalidade de uma garota de 16 e sim de uma mulher de 25 anos !
    Parabéns pela sua luta ;D

    Reply
  9. SILVANA DAMASCENO

    Linda história. Esse blog de fato é enviado por DEUS e assim como tem me ajudado a não desistir do meu sonho, também tem encorajado a muitas. FÉ em DEUS, ELE É FIEL.

    Reply
  10. flavia

    Nossa, uma história digna de escrever um livro. Com certeza nos encoraja a continuar a dolorosa caminhada em busca do nosso positivo!!!! Fé em Deus que ele é Fiel!!!! Eu sempre uso a teoria dos 3 "F": FORÇA, FOCO E FÉ!!!

    Reply
  11. Anônimo

    Nossa!! Linda historia ate chorei ao ler que Deus le de muita saúde Tatiana e felicidades a C.M

    Reply
  12. Daeliza

    Olá, C.M e Tati, parabens pela história. Impossível não chorar. deus existe e é poderoso.

    Reply
  13. Marina Amora

    Meu Deus! Chorei muito aqui…
    Sou mãe de um menino de três anos, e tentante.
    Muito emocionada aqui.
    Parabéns C. M. pela iniciativa de adoção, também tenho muita vontade de adotar uma criança. Sou adotada e sei como isso é importante para uma criança.
    Parabéns Tati pelo seu trabalho!

    Reply
  14. Anônimo

    Nossa Tatiana que linda historia!Me identifiquei muito pois na minha adolecencia também cometi o mesmo erro…provoquei um aborto, mas Deus foi muito generoso comigo conheci uma outra pessoa e me deu uma linda filha agora com 7 anos.Ha dois meses descobri que estava gravida com 6 semanas mas perdi o meu bebe.Estou muito triste pelo acontecido,afinal já estou com 40 anos e hipertensa, mas lendo este relato me senti encorajada a não desistir e continuar minha caminhada de tentante.Um beijo.

    Reply
  15. Lorhanna Lory

    Boa noite fiz um teste de farmacia e apareceu duas listras uma bem forte e outra bem clarinha posso estar gravida?

    Reply
  16. Taline

    Nossa, que história mais dolorosa com um um final feliz, é claro que muitas se sentem assim mas não tem esse apoio que você teve. Parabéns você é uma guerreira. O que acontece no passado, deve ser esquecido e perdoado. Também sou tentante, tenho um filho de 5 anos, que Deus me abençoou com uma gravidez tranquila, mas quando se é jovem, não aproveitamos muito certos momentos e aos 29 anos meu sonho de se tornar mãe de novo flui com muita intensidade, em dezembro de 2014 depois de dois anos tentando e fazendo exames fiquei grávida, estávamos nas nuvens, era a maior felicidade que eu e meu marido e meu filho tinhamos sentido, na primeira ultrassom o médico friamente diz que tem alguma coisa errada e que não estava vendo o bebê, e fui diagnosticada com gravidez anembrionária. Nosso mundo caiu e ficamos muito trsites, principalmente eu, sempre perguntava o porque que tinha acontecido justamente comigo. Um mês após e outra notícia, estava grávida novamente, não tinha utilizado pilulas e por descuido engravidei antes do prazo previsto, dias depois começei a sangrar o utero fraco… com 5 semanas tive que fazer outra vez a curetagem. Agora estou a 5 meses tomando pilulas e depois de todos os exames, parei os remédios… e agora é esperar e pedir de Deus.

    Reply
  17. Anônimo

    Emocionante!!!

    Tenho 35 anos,estou tentando engravidar faz alguns meses e nada… Acho que,tenho dificuldades pois nunca consegui.
    Meu marido sugeriu buscarmos ajuda para identificar o motivo.
    Essa história renovou minhas esperanças…obrigado!!!

    Reply
  18. Anônimo

    Linda a história de suas experiências. A jornada as vezes é tão sofrida e frustrante que pensamos em desistir, mas Deus nos mostra que precisamos fazer alguns resgates, antes de obtermos a maturidade e a fé, necessárias à realização dos nossos sonhos!

    Reply

Deixe uma resposta