Trompas elevadas, útero bicorno e ovários policisticos

Amanda e Gustavo e a busca pela família

Eu 27 anos Marido 38 anos.

Primeiras conversas – aumentar a
família.

Após uma viagem de férias (uma
lua de mel após dois anos de casamento), vieram às primeiras conversas de termos
um bebê e a partir daí decidimos marcar uma consulta ao ginecologista para
iniciar os exames de rotina para as tentativas de ter nosso bebê. E em Fev/2013
foi o início das minhas tentativas de ser mãe.

Tentativas com Indutor de Ovulação

Meu médico na época pediu que
após parar os anticoncepcionais tomasse 3 ciclos de Indux, pois no máximo 3
meses estaria grávida. Eis que veio o primeiro ciclo tomei o Indux e nada da
menstruação vir. Pensei será que fui abençoada no primeiro mês? Que nada, a
menstruação estava atrasada mesmo e sem bebê nenhum na barriga!

O Médico pediu que tomasse
Provera p/ menstruar e assim fiz e menstruei 11 dias depois e mais um ciclo com
Indux e no terceiro mês a mesma coisa. E assim foi até Jul/2013 até ter o
Diagnóstico de Ovário Policístico. sim tinha 26 anos e nunca soube que tinha
ovários policísticos! Tinha todos os sintomas pêlos no corpo, acne e amenorreia e nenhum médico disse esse nome! Fiquei arrasada, pois sabia que esse seria um
fator que dificultaria minhas tentativas. Estava tão chateada que troquei de
médico.

Mudança de Ginecologista

Fui p/ uma Ginecologista obstetra,
demonstrava ser atenciosa e parecia entender minha ansiedade e me pediu que
tomasse Indutor de Ovulação junto com Duphaston para menstruar e fazer ultrassom
no 14º dia do ciclo. Nos ultrassons apareciam folículos mais sem o tamanho
necessário para sair, assim fiz 5 ciclos de Indutor e só um mês o folículo
estava com tamanho ideal. Todos os meses a frustração de comprar testes de
farmácia de gravidez e ovulação e fazer exames de sangue e sempre negativo, sem
contar os inúmeros exames de hormônios. E tomar esses indutores deixava minha
pele cheia de espinhas e ficava com meu emocional muito abalado, uma hora
estava bem outra hora não.

Desconfianças que havia problemas de fertilidade

Meu marido tinha varicocele eu
sabia, porque ele já havia me dito, mas havia feito espermograma antes de nos
casarmos e tinha uma quantidade boa de espermatozoides para a concepção de
forma natural.

Comecei a desconfiar que havia
algo errado e pedi a médica que me passasse o pedido de espermograma atualizado
para meu marido e para mim histerossalpingografia. Meninas não fiquem com medo
desse exame, para mim foi super tranqüilo. Indico o Beneficência Portuguesa. Em
Nov/2013 levei todos os exames à médica e ela disse que estava tudo normal!
Fiquei feliz com a notícia e logo pensei, que venham as novas tentativas.

Relação com marido após meses de tentativas sem sucesso

Minha relação com meu marido que
sempre foi maravilhosa havia mudado o sexo estava com foco em procriação e não
prazer.  Estava triste, mas tentando não
demonstrar conversava sobre minhas angustias com meu marido, mãe , sogra e duas
amigas mais íntimas. Estava tão desgastada tinha vontade de sumir.

Procura por um Especialista em Reprodução Humana

Depois de algumas discussões com
meu marido e após a conversa com uma amiga  que fez FIV, decidimos ir a um especialista em
Reprodução Humana. Vi o relato da Tati no Blog Mãe a Flor da Pele e decidi ir a
Clinica Mater Prime Dr. Rodrigo Rosa Filho , um anjo que Deus colocou no nosso
caminho.

Chegamos a clinica e fomos muito
bem atendidos pela Recepcionista Cristiane e pelo Dr. Rodrigo. Eu e meu marido
levamos todos os exames, ultrassom atualizado, exames de hormônios, histerossalpingografia,
espermograma etc.

O Dr. Rodrigo explicou todo o
funcionamento de como acontecia o ciclo menstrual e como a mulher engravidava
até explicar o que realmente estava acontecendo. O problema não era com meu
marido e sim comigo, minhas trompas são elevadas, o útero levemente bicorno e
ovário policísticos (não ovulava todos os meses), minha menstruação era muito
irregular e disse que no meu caso o mais certo era fazer uma FIV, meu mundo na
hora caiu. Minhas possibilidades de engravidar naturalmente não eram zero,
mais eram bem pequenas quase que um jogo da mega sena. Eu e meu marido fomos
para casa com todos aqueles papéis do valor do tratamento, fiquei arrasada
chorei muito, mas logo me recuperei conversei com meu marido e decidimos
iniciar o tratamento. Nunca imaginei que estaria passando por aquela
situação…

Início do tratamento de FIV

Fizemos todos os exames de sangue
de doenças sexualmente transmissíveis, no meu caso exames de hormônios,
ultrassom atualizado e levamos tudo para o Dr. Rodrigo. Após os exames o Dr. pediu
que tomasse Provera para menstruar e após a menstruação iniciamos as aplicações
das injeções para estimular meus ovários a produzir muitos folículos. Meu
marido foi um anjo nessa fase, ele quem aplicava as injeções porque eu tenho
pavor de agulha. Essa fase é complicada, pois nos últimos dias aplicamos um
medicamento que dói bastante e nossos hormônios ficam enlouquecidos, chorava
por tudo. Durante as aplicações fiz os ultrassons seriados para ver a evolução
dos folículos estava tudo indo bem.

Achei que o tratamento seria mais
fácil. Na verdade o problema foi meu estado emocional que não estava ajudando
muito, mas em momento algum me arrependo, é difícil, porém necessário para a
conquista da nossa família.

Marcamos a punção dos óvulos, foi
super tranquila, pois durante o procedimento nos dão um sedativo para dormir.
Tive 23 folículos , 19 maduros e 5 embriões para congelar.

Hiper estimulo

O problema foi depois, fiquei com
muita dor após a punção. Não conseguia comer nada, tudo que comia vomitava e
sempre posicionando o Dr. Rodrigo de tudo que estava acontecendo e ele me
orientando. Estava muito ruim com uma dor estranha nas costas não conseguia  ficar em nenhuma posição para dormir,
sentar, horrível.

O Dr Rodrigo pediu que fosse ao
Hospital Santa Joana e solicitou que ficasse internada de observação, estava
com quadro grave de hiper estimulo. Lembrando que o meu caso é raro é difícil de
acontecer. Estava com muita água no abdômen que subia até os pulmões
dificultando a respiração. Fiquei no hospital durante 5 dias tomando Albumina
na veia, medicação para dor foi um verdadeiro pesadelo. E pelo ocorrido o Dr.
Rodrigo iria esperar 2 ciclos para colocar os embriões, no dia que ele disse
isso fiquei arrasada mais dois meses de espera do nosso bebê. Tive crises de
ansiedade no hospital queria sair de lá correndo. estava entediada e muito
frustrada com tudo que estava acontecendo.  

Sabia que estava acontecendo tudo
aquilo, pois precisava aprender alguma coisa. Ter mais paciência, tudo é no
tempo de Deus e nada acontece por acaso. Passando por tudo aquilo Confesso
que nessa hora estava descrente, estava tentando achar forças para voltar a
minha fé e seguir imaginando que aquilo iria passar e iria ficar tudo bem.   

Mesmo com o Hiper estimulo, me
senti confiante na escolha que havia feito o Dr. Rodrigo foi um anjo, sempre
disponível a qualquer momento. Meninas a importância de se ter um excelente
médico e confiar nele é fundamental para um tratamento como FIV.

E após 20 dias estava recuperada
totalmente.

A espera  da colocação dos embriões

Agora estou muito ansiosa
esperando agosto chegar logo para receber os embriões (nossos bebês). Imaginando
que eles estão passando frio congelados na clínica..rs .. brincadeira!

Passa tudo na nossa cabeça
decoração do quarto, como vamos falar para a família e amigos que estamos
grávidos, como vamos sustentá-los…rsss … Esses dias estou acordando várias
vezes a noite e me deparo pensando em uma série de coisas relacionadas a
bebês… Preciso mudar o foco…

Resolvi fazer caminhadas para ver
se alivia a tensão e quem sabe ler um livro… Esses dias estão parecendo uma
eternidade.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Amanda aguarda pela colocação dos embriões e prometeu nos contar o desfecho de sua história em breve. Nós aqui aguardaremos ansiosas e mandando muitas energias boas para que tudo dê certo. 
É tentante? Quer dividir sua história com a gente?
Envie sua história para contato@maeaflordapele.com

Relacionados

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*