Anestesia Epidural | Seus benefícios e riscos

​A Anestesia Epidural diminui ou elimina a dor, mas não ajuda a acelerar ou tornar o parto em si mais fácil. Torna o parto mais confortável, mas algumas sensações importantes podem ser perdidas.

A Anestesia Epidural acaba com as dores do parto?

Em muitos partos normais e em qualquer situação cirúrgica que se faça necessário, o médico anestesista pode optar pela administração da Epidural. Não é uma medida obrigatória e a grávida pode optar por não receber e ter um parto natural, sem qualquer administração de medicamento. A epidural promove analgesia em poucos minutos e cessa com as dores das contrações do parto.

A epidural não tira por completo a sensibilidade física do parto, ela age no alívio da dor. Age tirando a dor do parto em todas as suas fases. A Epidural tira a dor das contrações e do expulsivo. Ainda assim após a aplicação da anestesia o parto continua a evoluir normalmente, mas sem a dor de antes. No entanto algumas mulheres relatam não conseguirem sentir o momento exato em que o bebê está nascendo. A sensação do expulsivo pode ficar comprometida.

A Epidural diferente da anestesia geral que é injetada na corrente sanguínea, é um anestésico local que atravessa a placenta numa quantidade muito pequena e em nada compromete a saúde do bebê. Os estímulos de dor são bloqueados diretamente atráves das fibras nervosas afetadas pela analgesia.

Benefícios da anestesia epidural

  • Sua aplicação não é dolorosa e é equivalente a uma picada como outra qualquer de agulha;
  • Reduz significativamente ou elimina a dor do trabalho de parto;
  • Sem dor , aumenta o conforto e a tranquilidade da mãe ;
  • Ajuda a mãe a renovar as energias para o momento do expulsivo.
  • Ainda que anestesiada a mãe se mantém consciente e ativa durante todo o trabalho de parto;
  • Não impossibilita a mãe de ter um contato imediato e direto com o bebê após o nascimento;

Como age a Anestesia Epidural

Após cerca de 15 minutos de sua aplicação, a anestesia epidural faz a dor do trabalho de parto desaparecer.
É necessário que o médico anestesista controle o tempo de atuação do medicamento para assim determinar quantas reaplicações serão necessárias para o alívio ou cessar da dor. Se a dor recomeçar é injetada uma dose adicional de anestesia através do cateter epidural.

Quando a epidural é necessária?

A epidural só pode ser administrada após uma dilatação de pelo menos 4 cm. Um trabalho de parto só é considerado iniciado após os primeiros 3 cm de dilatação.
No Brasil é direito da mulher receber a anestesia epidural durante o trabalho de parto pelo SUS. Na rede particular pode haver uma cobrança a parte. Se a dilatação acontece rapidamente no entanto, pode não haver necessidade e nem mesmo possibilidade de utilizar a epidural.

Como é aplicada a Epidural ?

O anestesista introduz uma agulha especial entre duas vértebras da coluna lombar e insere o cateter epidural que é um dispositivo muito fino. O procedimento não é doloroso mas pode trazer desconforto principalmente pela posição em que gestante deve se manter para o momento da aplicação.

A anestesia é administrada, logo atinge as fibras nervosas e bloqueia a dor originada abaixo da cintura, o que atinge o útero e os órgãos genitais.

Contra indicações e riscos da Epidural

Embora seja uma técnica segura utilizada a mais de 30 anos é preciso alguns cuidados importantes antes da administração da epidural.

A Anestesia Epidural é contra indicada para mulheres que possuem algum tipo de infecção que principalmente altere a coagulação sanguínea.

Mulheres portadoras de doenças do sistema nervoso central e que se utilizem de medicamentos com efeitos sobre a coagulação, do sangue também devem evitar receber a epidural.

A medicina tem feito avanços importantes e graças a isso, hoje já se pode aplicar a epidural de uma forma mais eficiente e com menor riscos.

Embora seja um direito da gestante, muitas mulheres alegam não terem recebido a anestesia mesmo depois de pedidos recorrentes. Por isso é importante que a futura mãe faça uma visita ao hospital em que pretende ganhar seu bebê e esclareça alguns pontos importantes. Entre eles o de se fazer valer o direito de receber a anestesia durante o trabalho de parto.

Leia também: Como planejar um parto domiciliar com segurança

Leia também: É seguro comer abacaxi durante a gravidez?

Leia também : Estreptococos do grupo b na gravidez

 

Deixe uma resposta