Trompas obstruídas | Como acontece e o que fazer

Por vezes as trompas obstruídas ou mesmo danificadas,

acontecem devido a certas condições. Em casos raros, o bloqueio das trompas de falópio pode estar presente desde o nascimento como um defeito de nascença, mas normalmente passa despercebido até que a mulher atinja a idade adulta e tente engravidar.

Conheça as suas trompas de Falópio

As trompas de falópio são a comunicação entre os ovários ( portadores dos óvulos) e o útero. Em primeiro lugar, sem as trompas não existe meio de fecundação. Em segundo não existe caminho para que o óvulo fecundado se fixe no útero.

As trompas de falópio se conectam ao útero na junção útero-tubária, onde as trompas de Falópio se abrem para a cavidade uterina. Esses túbulos muito finos são revestidos de cílios, que são células semelhantes a pelos muito finos. De lá eles se estendem e ligeiramente em direção aos ovários em ambos os lados do corpo feminino.

As trompas, de acordo com o entendimento médico, é dividida em algumas partes. O infundíbulo é o extremo próximo ao ovário que está associado às fímbrias. As fímbrias são como franjas de tecido na extremidade distal (lado de abertura em direção ao ovário) das trompas de falópio. As fímbrias são cobertas de cílios , que parecem pêlos minúsculos. Imediatamente antes da ovulação, os hormônios sexuais sinalizam as fímbrias para se encherem de sangue e se movem para tocar o ovário em um suave movimento de varredura. Quando um ovócito (óvulo) é liberado na ovulação, a fímbria e os cílios levam o ovócito para dentro da trompa de Falópio para ser conduzida ao útero após a fertilização.

A ampola pode-se dizer que fica situada no meio da trompa. É a seção central que se move em direção ao útero. A ampola é a parte principal da trompa de Falópio. É na parte ampular da trompa que ocorre a fecundação. A partir da ampola, o tubo se estreita no que é conhecido como o istmo. O istmo é a parte onde a trompa encontra o útero. O Istmo se abre para o útero na junção útero-tubária.

As células das trompas de Falópio são afetadas por hormônios

Existem dois tipos de células dentro das trompas de Falópio. As células ciliadas são mais abundantes no infundíbulo e na ampola. O estrogênio aumenta a produção de células cilia nas trompas de Falópio. Dispersas entre as células ciliadas estão as células que produzem fluido tubular. Este líquido contém nutrientes importantes os espermatozoides, oócitos (óvulos) e zigotos (óvulos fertilizados).

As secreções também promovem a capacitação do espermatozoide. Esse fluído encontrado na trompa, ajuda o espermatozoide a amadurecer para a fertilização completa. Estudos publicados no BJOG, An International Journal of Obstetrics & GynecologyObserve , dizem que em muitos as trompas de falópio não estão bloqueadas, no entanto suas células secretoras e ciliadas estão mortas ou ausentes. A progesterona aumenta o número de células Peg (As células peg capacitam os espermatozoides, tornando-os capazes de fertilizar um óvulo na ampola). O estrogênio aumenta a quantidade e a atividade secretora das células peg. O equilíbrio hormonal é igual vital para o funcionamento das trombas. Acima de tudo, o equilíbrio entre estrogênio e progesterona é importante tanto para o ciclo menstrual em geral, como também é vital para a saúde e o funcionamento adequado das trompas de falópio.

Causas de trompas de Falópio obstruídas

Endometriose
Doença Inflamatória Pélvica (DIP)
Miomas uterinos
Gravidez ectópica
Reversão de ligadura tubária
Complicações da cirurgia abdominal inferior, como a cesariana
Tuberculose genital (ainda comum em países em desenvolvimento, especialmente na Índia)
Hidrossalpinge
Endometriose e tumores fibróides são as duas condições que estão se tornando mais prevalentes em mulheres a cada ano.

A doença inflamatória pélvica é outra condição comum e é um termo abrangente para vários problemas diferentes que criam uma infecção inflamatória no sistema reprodutivo feminino. A DIP é quase sempre o resultado direto de uma doença sexualmente transmissível, como a gonorreia ou clamídia, e é responsável por cerca de 100.000 casos de infertilidade feminina por ano.

Todas essas condições podem causar obstrução das trompas de falópio, fazendo com que aderências e tecido cicatricial se formem dentro do trajeto do tubo. As trompas de falópio também podem ficar presas a outras partes do corpo interno; a bexiga, os ovários, o útero, os intestinos, etc. As trompas de falópio danificadas podem ficar torcidas ou as paredes dos próprios tubos podem aderir, causando um bloqueio total.

As trompas de falópio parcialmente danificadas podem permanecer abertas o suficiente para que a gravidez ocorra, mas um bloqueio parcial aumenta o risco de gravidez ectópica. As trompas de falópio são muito finas para começar, então não demora muito para elas ficarem bloqueadas, impedindo a passagem dos óvulos. Conforme explicado na revista Human Reproduction Update (Volume 12, Número 4, julho / agosto de 2006), estudos mostraram que níveis baixos de progesterona, tabagismo e uso de medicamentos para fertilidade podem alterar o funcionamento das tubas uterinas, o que aumenta o risco de gravidez ectópica. Qualquer uma das condições acima pode causar um bloqueio tubário parcial, o que também aumenta o risco de gravidez ectópica.

Como saber se as trompas estão obstruídas

Histerossalpingografia

Histerossalpingografia é um teste de raios-X, usando um contraste para visualizar qualquer obstrução nas trompas de falópio. O contraste é inserido através de um tubo fino que é colocado através da vagina, no útero. O útero é preenchido com esse contraste, em seguida, deve subir para as trompas de Falópio. São realizados então, raio-x para determinar se há uma lesão ou forma anormal do útero e das trompas de falópio, incluindo obstrução nos tubos.

Opções médicas para desobstrução das trompas

As principais opções são cirúrgicas. Os procedimentos cirúrgicos tubários podem ser realizados por cirurgia abdominal aberta ou por laparoscopia (pequena incisão).

Salpingectomia

Este procedimento é a remoção de parte da trompa de Falópio. Isso é comumente realizado para hidrossalpinge antes da fertilização in vitro. De acordo com Fertilidade e Esterilidade , a hidrossalpinge não tratada torna a FIV com metade da probabilidade de sucesso.

Salpingostomia

Este procedimento é realizado quando a extremidade da trompa de falópio é bloqueada por hidrossalpinge. O cirurgião cria uma nova abertura na entrada do tubo de Falópio mais próxima do ovário. O sucesso deste procedimento é muitas vezes temporário e muitas vezes as reformas do tecido cicatricial causam outro bloqueio dentro de 3-6 meses após o procedimento.

Fimbrioplastia

sta opção pode ser realizada em mulheres com danos nas fímbrias. Se as fímbrias e seus cílios estão grudados pelo tecido cicatricial, o que impede que o óvulo seja absorvido, uma fimbrioplastia pode ser recomendada. Este procedimento reconstrói as fímbrias. Muito poucos médicos são especialistas neste tipo de procedimento e seguro médico, muitas vezes não cobre o custo deste procedimento. A fi- mirrioplastia é agora recomendada em casos selecionados em relação à salpingostomia, que tem demonstrado ser menos bem-sucedida.

Os procedimentos acima têm cerca de 20-30% de taxa de sucesso na gravidez.

Canulação tubária seletiva

Este procedimento é realizado para a oclusão tubária proximal (onde o tubo encontra o útero). Guiados por histeroscopia ou fluoroscopia, os médicos inserem um cateter através do colo do útero, do útero e dentro da tuba uterina. Este é um procedimento cirúrgico minimamente invasivo que tem uma taxa de sucesso de gravidez de 60%.

Tratamento natural para desobstruir as trompas

1. Limpeza de Fertilidade

Limpeza de fertilidade ajuda a limpar todo o sistema reprodutivo e aumentar a circulação para os órgãos reprodutivos. O início do tratamento natural para desobstruir as trompas de Falópio deve começar com a limpeza da fertilidade . Essa limpeza inclui  uma alimentação mais natural e uso de alguns detox e ervas.

2. Massagem da Fertilidade

A massagem é outro tratamento natural que ajuda na desobstrução das trompas. A massagem da fertilidade ajuda a aumentar a circulação e a romper as aderências. Massagem da fertilidade proporciona uma ótima opção não intrusiva para as mulheres com trompas de falópio obstruídas.

Benefícios da massagem para a saúde das tubas uterinas:

Ajuda o corpo a limpar as trompas de falópio bloqueadas.
Massagem ajuda a quebrar o tecido cicatricial.
Aumento da circulação ajuda na eliminação dos tecidos.
Ajuda a reduzir a inflamação.
Ajuda o corpo a soltar tecidos apertados ou torcidos.

3. Tratamento com óleo de mamona

O tratamento com óleo de rícino tem sido usada há séculos para ajudar na cura de problemas no corpo e, mais especificamente, no sistema reprodutivo.

Ao final da massagem da fertilidade, uma boa quantidade de óleo de rícino deve ser espalhada no baixo ventre. Em seguida um pano úmido e morno deve cobrir toda a área do baixo ventre. Esse tratamento é utilizado para melhorar a circulação e promover a cicatrização dos tecidos e órgãos debaixo da pele. A terapia com óleo de mamona ajuda as trompas de Falópio, ajudando a suavizar os tecidos e aumentar a circulação na área.

Além disso, as compressas com óleo de mamo ativam o sistema linfático. O sistema linfático é responsável pela remoção de resíduos metabólicos, células e tecidos doentes. Isso é muito importante, especialmente se as trompas de falópio obstruídas, tiverem como causa uma gravidez ectópica, doença sexualmente transmissível (DST), infecção de cirurgia anterior, endometriose, miomas uterinos, cistos ovarianos ou DIP.

O óleo de mamona é uma das únicas maneiras de estimular o sistema linfático. Dentro do sistema linfático existe um fluido chamado linfa que depende de nós para se mover. O coração é o que bombeia o sangue por nosso sistema circulatório, mas o sistema linfático não tem uma bomba como o sistema circulatório tem no coração. Exercício, escovação a seco, algumas ervas e óleo de mamona são algumas das únicas maneiras de fazer a trabalhar.

5. Chás e ervas para desobstruir as trompas de falópio

Existem muitas ervas que têm sido tradicionalmente usadas para ajudar a sustentar a saúde das tubas uterinas. Fitoterapia classifica ervas por diferentes tipos de ações. Ao trabalhar para melhorar a saúde das tubas uterinas, existem 4 ações-chave que gostamos de focar, são as seguintes…

Antibiótico: As ervas antibióticas ajudam a eliminar qualquer infecção que possa existir no sistema reprodutivo ou nas trompas de falópio. Apoiar a função imunológica com ervas antibióticas pode ser importante se houver uma história de DIP, DST, cirurgia abdominal ou endometriose.

Anti-inflamatório: As ervas anti-inflamatórias ajudam a reduzir a inflamação, que por sua vez reduz a dor e trabalha para reduzir ainda mais a produção de tecido cicatricial. Se a inflamação persistir dentro ou ao redor das tubas uterinas, pode se formar tecido cicatricial.

Circulatório: Existem ervas que ajudam a aumentar o fluxo sanguíneo através dos órgãos reprodutivos. Circulação saudável para os órgãos reprodutivos é vital para a cura das trompas de falópio. Isso ocorre porque o sangue fresco e saudável trará nutrientes vitais, enzimas e oxigênio para a cura das células. Uma vez que as células tenham usado o que elas precisam e tenham renovado ou substituído antigas células danificadas ou insalubres, os resíduos metabólicos (tecidos danificados) são removidos do corpo.

Equilíbrio Hormonal: Lembre – se que o equilíbrio hormonal é essencial para a função adequada da trompa de Falópio. Ao trabalhar para apoiar a saúde das tubas uterinas, nós sempre queremos incluir algumas ervas que suportam o equilíbrio hormonal.

Ervas para a saúde das trompas de falópio:

Raiz Goldenseal (Hydrastis canadensis): Esta erva é extremamente antimicrobiana e antiinflamatória. Ele trabalha para curar qualquer infecção no sistema reprodutivo, reduzindo também a dor e a inflamação do crescimento de tecido estranho. Redução na inflamação pode ajudar a prevenir o tecido cicatricial e a adesão. Goldenseal pode ajudar a proteger as trompas de falópio de danos devido a uma infecção. Também suporta a saúde das membranas mucosas.
Gengibre(Zingiber officinalis): Uma erva maravilhosa usada para aumentar a circulação e promover o fluxo sanguíneo para os órgãos reprodutivos. O aumento da circulação também ajuda a reduzir a inflamação do útero, ovários ou trompas de falópio.

Raiz de Dong Quai (Angelica sinensis): Uma das melhores ervas para promover a circulação nos órgãos reprodutivos. O Dong Quai atua no sistema circulatório e no sistema linfático, reduzindo o congestionamento dos tecidos. Possui propriedades redutoras e antiinflamatórias.

Açafrão (Crocus sativus): trabalha para reduzir o congestionamento abdominal. O açafrão é extremamente rico em antioxidantes, melhora a integridade da parede dos vasos sanguíneos, auxilia o corpo no uso adequado do oxigênio e melhora o fluxo sanguíneo.

Peônia(Paeonia officinalis): Peônia foi encontrada para ajudar no aumento dos níveis de progesterona, menor testosterona e equilíbrio estrogênio. Em geral, esta erva tem excelente suporte a balanceamento de hormônios. Também ajuda na redução da dor e relaxamento.

Inhame(Dioscorea villosa): Ajuda a promover os níveis hormonais normais e o equilíbrio global dentro do sistema reprodutivo.

Uva Ursi (Arctostaphylos uva ursi): Uma das melhores ervas para reduzir a retenção de líquidos e o congestionamento. Esta erva tem se mostrado eficaz no combate à vaginite, devido à sua atividade antimicrobiana. Uva Ursi auxilia o corpo na remoção do excesso de fluidos para a desintoxicação diária adequada.

Considerações finais

As trompas de falópio obstruídas são uma das principais causas de infertilidade hoje. Existem muitas opções naturais para ajudar o seu corpo a suportar a função normal das trompas de falópio, tais como massagem, enzimas e ervas. Se você acha que suas trompas de Falópio podem estar obstruídas, consulte o seu médico para a realização de uma histerossalpingografia. Você pode tentar a obstrução com recursos médicos, tratamentos naturais ou realizar um procedimento de reprodução assistida. A FIV é uma maneira de dispensar o uso das trompas e inserir um embrião no útero diretamente.

Fonte:

A. Strandell, A.Lindhard, U.Waldenstro, J.Thorburn. (2001) Hydrosalpinx e IVF resultado: resultados cumulativos
após salpingectomy em um estudo controlado randomizado. Reprodução Humana . Vol.16, No.11 pp. 2403–2410. Retirado de: http://humrep.oxfordjournals.org/content/16/11/2403.full.pdf+html
F. W. Dittmar, W. Luh. (1993). Tratamento de mastopatia fibrocística com enzimas hidrolíticas. J. Internacional of Experimental e Clínica Chemotherapie ; Vol. 6, No. 1, pp. 920 Retirado de: http://www.enzymescience.com/OBGYN%20and%20Pregnancy/FibrocysticMastopathy.htm
Patki, V., MD. (nd) Como as enzimas sistêmicas combatem a inflamação. Retirado de: http://www.systemicenzymetherapy.com/Inflammation/CourseofAction.htm
Wurn, L. (nd). Desbloquear naturalmente as trompas de Falópio – Abrir sem drogas ou cirurgia. Retirado de: http://www.clearpassage.com/what-we-treat/infertility/blocked-fallopian-tubes/
Wurn BF, Wurn LJ, King CR, Heuer MA, Roscow AS, et al. (2008 Jan-Feb) Tratamento de Falopio; Oclusão de Tubo com Fisioterapia Pélvica Manual. Altern Ther Health Med . 14 (1): 18. Retirado de: https://www.researchgate.net/publication/5601633_Treating_fallopian_tube_oclclus_with_a_manual_pelvic_physical_therapy
As Técnicas Arvigo® da Terapia Abdominal Maya – Definição e História. (nd) Retirado de: https://arvigotherapy.com/content/definition-and-history
Hethir Rodiguez

Sobre o autor | Website

Apaixonada pelos tratamentos naturais encontrou na farmácia de Deus meios de auxiliar casais de todo o mundo a realizarem o seu sonho de paternidade. Dedica grande parte de seu tempo aos estudos de tratamentos naturais e técnicas terapêuticas que revertam a infertilidade e aumentem a fertilidade natural. Tatiana da Costa é Consultora de Fertilidade e estudante de Naturopatia

Receba gratuitamente o E-Book que vai mudar a tua história. A fertilidade começa pela boca.

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!